Pacotes com possíveis bombas são mandados para Hillary, Obama, CNN e governador de NY




Pacotes suspeitos com "potenciais dispositivos explosivos" enviados para as residências da ex-primeira-dama Hillary Clinton e do ex-presidente Barack Obama foram interceptados pelo serviço secreto dos EUA, informou nesta quarta-feira (24) o Departamento de Segurança Interna americano.


Em seguida, ainda nesta manhã, o prédio onde fica a rede CNN em Nova York foi esvaziado, também por causa de um pacote suspeito que depois se constatou conter "um aparente dispositivo explosivo funcional", nas palavras da polícia, e um envelope com um pó branco. Essa correspondência tinha como destinatário o ex-diretor da CIA, John Brennan e a "Time Warner (CNN)".


Mais tarde, o governador do estado de Nova York, o democrata Andrew Cuomo, também disse que seu escritório recebeu um pacote com um dispositivo suspeito.


Ele afirmou que não seria de estranhar se mais aparentes explosivos fossem encontrados, e apontou que "parece haver um padrão" para as correspondências, referindo-se ao fato de os destinatários terem ligação com o Partido Democrata.



Imagem obtida pela rede NBC mostra uma das possíveis bombas apreendidas nos EUA — Foto: NBCA CNN chegou a afirmar nesta manhã que um outro pacote suspeito teria sido mandado para a Casa Branca, mas o serviço secreto negou.

Descobertos na triagem

O serviço secreto interceptou o pacote endereçado a Hillary Clinton na terça-feira (23) e, na manhã desta quarta (24), o outro que iria para a casa do ex-presidente Obama. Os pacotes enviados foram imediatamente identificados como "potenciais dispositivos explosivos" durante os procedimentos de triagem de rotina.
Ex-primeira-dama, Hillary Clinton, e ex-presidente Barack Obama — Foto: Carlos Barria/Reuters e Ritzau Scanpix/Mads Claus Rasmussen via REUTERS



Obama e Hillary não chegaram a receber ou correram risco de recebê-los, segundo a nota do Departamento de Segurança Interna. Uma investigação criminal foi aberta para identicar o responsável pela ação.




Alguns veículos da imprensa americana, como a rede ABC e o "New York Times" tratam os pacotes como "explosivos", mas a informação oficial disponível até o momento é de que se tratam de "potenciais dispositivos explosivos".


“Estamos bem, obrigada aos homens e mulheres do Serviço Secreto que interceptaram o pacote que nos era endereçado muito antes de chegar a nossa casa”, afirmou Hillary.
Edifício Time Warner Center, em Nova York, onde foi encontrado um pacote suspeito nesta quarta (24) — Foto: Reuters/Shannon StapletonNo caso de Hillary, ela sequer estava em casa, pois participa de campanha eleitoral na Flórida. Seu marido, o ex-presidente Bill Clinton, estava na residência.


O presidente Donald Trump foi informado sobre os pacotes suspeitos. Em comunicado, a Casa Branca disse que condena as "tentativas de ataques violentos" contra Obama, os Clinton e outras figuras públicas. Também chamou a ação de "desprezível" e disse que quem estiver por trás dela será responsabilizado.
Polícia isola região do Time Warner Center, em Nova Toyk, após pacote suspeito ser encontrado no local — Foto: Kevin Coombs/Reuters

Esvaziamento

Nesta manhã, a CNN informou que um pacote que pareceu suspeito a funcionários da própria emissora em Nova York fez com que a polícia fosse chamada e o prédio onde ficam os estúdios da rede na cidade, o Time Warner Center, fosse esvaziado. A polícia infomou, segundo a emissora, que foram usados fios e um pedaço de cano na elaboração desse dispositivo, que já foi retirado do local com segurança.


Para o prefeito de Nova York, Bill De Blasio, o envio do pacote tinha a intenção de "aterrorizar". "Isso é claramente um ato de terror tentando minar nossa imprensa livre e líderes deste país através de atos de violência ”.
Carro deixa residência do casal Bill e Hillary Clinton em Chappaqua, Nova York, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (24) — Foto: Mike Segar/ ReutersVeja o momento em que soa o alarme para evacuar o prédio da CNN em Nova York:




Esquadrão antibomba da polícia de Nova York vai a prédio do Time Warner Center depois que pacote suspeito foi encontrado nesta quarta-feira (24) — Foto: Kevin Coombs/Reuters