BREAKING NEWS
latest

05/11/2018

Africano baleado em bar em Uberlândia foi morto por engano









A Polícia Civil em Uberlândia concluiu que o mecânico da República Democrática do Congo, Jacques Onza, que foi baleado em junho deste ano em Uberlândia, foi morto por engano.


A vítima levou três tiros quando estava em um bar no Bairro Santa Mônica com os amigos e a noiva. O africano tinha uma companheira na cidade e uma filha de dez anos no país de origem, que morava com a família dele.


De acordo com o delegado Fábio Ruz, o inquérito - que está em fase final - mostra que Jacques foi confundido com um desafeto do autor dos disparos.


"O autor, que foi identificado e está foragido, havia brigado com o verdadeiro alvo dos tiros por causa de uma delação que fez à polícia por causa de um roubo de carro. Na ocasião, eles discutiram em um bar e o assassino do africano apanhou bastante. Querendo vingança, ele soube que o desafeto estava em um bar da cidade, foi até o local e atirou nas costas da vítima. Contudo, acabou acertando na pessoa errada, o Jacques", explicou.


Ruz também disse que as semelhanças físicas de Jacques e do real alvo são muito grandes.



"Os dois são altos, negros e falam francês. Além disso, a verdadeira pessoa que queriam matar frequenta bares e jogos de sinuca, e no dia do crime Jacques também estava em um bar. Infelizmente foi uma coincidência. O verdadeiro alvo foi ouvido pela polícia e está com bastante medo de ser assassinado", acrescentou o delegado.




Africano Jacques Onza veio chegou ao Brasil para fazer intercâmbio e ficou no país — Foto: Reprodução/Facebook


Relembre

Jacques nasceu na República do Congo e foi estudante de engenharia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) por meio de intercâmbio no início de 2012. No mesmo semestre letivo desligou-se da instituição e, desde então, permaneceu morando e trabalhando em Minas Gerais.


Ele foi baleado em 29 de junho deste ano dentro de um bar na Avenida Ortízio Borges, no Bairro Santa Mônica. As testemunhas contaram à polícia que o mecânico estava sentando de costas para a porta quando o autor, com roupas escuras e capuz, sacou a arma e disparou três vezes contra a vítima. Duas balas acertaram o homem e a terceira atingiu a mesa de sinuca.


Em seguida o autor fugiu pela Rua Hildebrando Oliva e entrou em um carro vermelho onde estava outro indivíduo. A vítima foi socorrida com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU).


Em virtude da burocracia e alto custo para o traslado até a África, os familiares optaram por fazer o enterro de Onza em Uberlândia. Ele foi enterrado no dia 11 de julho deste ano, após a chegada da mãe dele ao Brasil.


Carta escrita por Jacques com reflexões sobre a vida foi encontrada por amigos — Foto: G1


Carta

Após a morte, uma carta com reflexões sobre vida e luta do ser humano contra a própria espécie foi achada por colegas de trabalho do africano em um armário que ele utilizava na empresa. Em um dos trechos do relato, o mecânico questionava os motivos de ''tanta matança''.


"... sempre me pergunto a finalidade de tudo isso, por que fazer o outro sofrer ... por que inventar armas para matar o outro, no momento em que você não ficará eternamente vivo .. por que tanta crueldade, tanta maldade, tanta matança ...", disse no texto.


Ainda conforme a Polícia, a Embaixada da República do Congo enviou uma recomendação pedindo que o caso fosse solucionado. O G1 não conseguiu contato com a embaixada pelos telefones disponíveis na internet e o e-mail enviado sobre a questão não foi respondido até a publicação desta reportagem.

Fonte: G1
« ANTERIOR
PRÓXIMA »

Nenhum comentário