A Ascensão de Marcos Rogério

Eleito vereador em 2008, após dez anos o ji-paranaense Marcos Rogério da Silva Brito foi eleito senador de Rondônia, obteve 324.939 votos totalizados (24,06% dos votos válidos) no 1º turno das Eleições 2018. Em dez anos o Jornalista e Radialista alçou-se do cargo de vereador na sua cidade natal e será empossado no dia 1º de fevereiro como novo senador.
Mas a história política do senador já diplomado não se inicia em 2008, na eleição de 2004 o atual deputado federal fez-se candidato a vereador pelo município de Ji-Paraná, concorrendo pelo Partido Popular Socialista – PPS. O então jornalista e redator não foi eleito tornando se suplente. No pleito o então candidato obteve 758 votos um a menos que o vereador eleito pela sua coligação composta pelos partidos (PDT/PT/PL/PPS) José da Silva Lopes (Zé Lopes) que Alcançou 759 votos.
No pleito de 2008 Marcos Rogério candidatou-se novamente ao cargo de vereador na cidade de Ji-paraná, concorreu pelo Partido Democrático Trabalhista – PDT recebeu 1.305 votos, sendo eleito.
Nas eleições de 2010 o então vereador alçou vôo maior, ainda pelo PDT lançou-se candidato a deputado federal pela coligação aliança por uma Rondônia melhor para todos I, composta pelos partidos PDT / PMDB / DEM / PRTB / PC do B, apurados os votos obteve 15.026, desses 11.649 em Ji-paraná. Nessa eleição a deputada Marinha Raupp da mesma coligação de Marcos Rogério obteve 100.589 votos (14,24% dos votos válidos).
Marcos Rogério foi candidato a deputado federal em 2010 e não foi eleito, Ele assumiria o cargo alguns meses depois em função da perda de mandato de Lindomar Garçon. No dia 16/11/2011 A Mesa Diretora da Câmara decidiu decretar a perda de mandato do deputado Lindomar Garçon (PV-RO). A medida atendia a decisão tomada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) que recontou os votos da eleição de 2010 em razão da Lei da Ficha Limpa. A medida alterou o resultado da eleição no estado. Para o lugar de Lindomar foi empossado o deputado Marcos Rogério da Silva Brito (PDT-RO).
O então corregedor da Câmara, Eduardo da Fonte (PT-PE) deu parecer favorável e a decisão foi acatada por unanimidade. A Justiça Eleitoral de Rondônia indeferiu o registro da candidatura de Daniela Amorim ao cargo de deputada federal pelo PTB, o que alterou o resultado das eleições. Ela possuía condenações de órgãos colegiados por abuso do poder econômico e improbidade administrativa, com enriquecimento ilícito e lesão ao erário. 
Marcos Rogério Assumiu e foi efetivado no mandato de Deputado Federal, na Legislatura 2011-2015, em 17 de novembro de 2011, em virtude de nova totalização dos votos pelo TRE-RO
Em 2014 ainda pelo PDT candidata-se novamente a deputado federal, pela coligação Rondônia no caminho certo 1 composta pelos partidos PMDB / PRTB / PC do B / PDT / PRP / PSB / PTB / PSL / PTN, obtém 60.780 votos,desses 32.733 em  Ji-paraná. Assim sendo o segundo mais votado do estado, nessas eleições foi reeleito o senador Acir Gurgacz PDT com 312.614 votos.
Filiado ao PDT desde 2007 partido por qual disputou uma candidatura a vereador e duas a deputado federal, em 2016 Marcos Rogério filia- se ao Democratas( DEM).
Nas eleições de 2018 candidata-se ao senado pelo partido Democratas-DEM, coligação Rondônia, esperança de um novo tempo, composta pelos partidos PSDB / DEM / PSD / PRB / PATRI, Marcos Rogério obteve 324.939 votos totalizados (24,06% dos votos válidos) e foi eleito Senador em Rondônia no 1º turno das Eleições 2018. Superando Confúcio Moura que foi governador do estado eleito duas vezes seguidas, em 2010 e 2014, e deputado federal por três vezes que obteve 230.361 votos (17,06% dos votos válidos).

Disputando a eleição com diversos candidatos, entre eles Valdir Raupp, Carlos Magno, Aluizio Vidal, Jesualdo Pires, Jaime Bagattoli e Confúcio Moura, Marcos Rogério ficou em primeiro lugar, superando nomes importantes da política rondoniense.

A Ascensão de Marcos Rogério não e meramente na política, nos últimos dez anos cresceu também o patrimônio do Senador eleito, Em 2004 na sua primeira candidatura nenhum bem foi cadastrado no site que divulga candidatura e contas eleitorais. Em 2008 quando foi eleito vereador, declarou possuir 168.000,00 reais  em bens, sendo um imóvel urbano e um automóvel, dez anos depois já na eleição para o senado declarou possuir cerca de um milhão e meio de reais em bens, entre eles imóveis rurais e 1/3 de  uma aeronave  
Após dez anos da posse na Câmara Municipal de Ji-paraná, Marcos Rogério será empossado no Senado Federal, onde exercerá o mandato de senador por Rondônia nos próximos oito anos. 

Fonte: Emilson Pereira Tavares